quarta-feira, 5 de maio de 2010

Escola Municipal realiza passeata contra poluição ambiental na Região Norte


Com o tema “Fora Poluição: A comunidade Escolar está adoecendo”, a Escola Municipal Francisco Magalhães Gomes, no bairro Vila Clóris, na Região Norte, realizou na última quarta-feira dia 5, juntamente com alunos, professores, pais e moradores locais, uma manifestação contra a poluição ambiental.

O objetivo é buscar soluções práticas para acabar com a fumaça jogada ao ar por uma lavanderia que faz divisa com a escola. A fumaça, segundo diretora da Escola Municipal Francisco Magalhães Gomes, Márcia Breder da Costa Rezende, causa irritação nos olhos e garganta, tosse seca, falta de ar e até vômitos em alguns alunos e profissionais. Para Márcia Breder, é preciso verificar se há algum outro equipamento que a lavanderia possa usar sem causar danos à população. ”Vários alunos já faltaram às aulas devido aos problemas respiratórios causados pela fumaça, e isso precisa ser resolvido”, afirmou.
Durante a passeata os alunos gritavam: “Somos cidadãos, queremos ar puro, fora poluição”. Mauro Lúcio Gomes, pai de uma estudante de 7 anos, afirmou que a filha possui sinusite e tem piorado desde que passou a frequentar esta a escola. “Ela tem passado muito mal, com febre e perda de apetite. Gasto muito dinheiro com remédios para tratar a doença”, completou.

O proprietário da lavanderia, Paulo Domingos, afirma que atua há mais de oito anos no local e que a empresa é tecnologicamente correta. O local recebeu um novo equipamento em agosto do último ano que não emite fumaça. “Aproveitamos o subproduto da lenha sob pressão, que é transformado em gás, que logo após é queimado. Ele não causa nenhum mal a saúde e não produz fumaça”, disse.


Mas isso não é o que diz o aluno da sétima série João Vitor: “Nós alunos e professores estamos passando mal devido ao mau cheiro do ar que inalamos. A lavanderia polui o meio ambiente, o que é muito ruim para a nossa saúde”, completou. Cerca de 200 alunos, com autorização dos pais participaram da manifestação.
FONTE : Gerência Regional de Comunicação Social Norte(GERCOM-N)

19 comentários:

Anônimo disse...

Sou professora desta escola. Estou trabalhando doente porque o tratamento que faço contra sinusite não tem nenhum efeito com a poluição que sai da chaminé da Lavanderia Manancial.
Trabalho com crianças pequenas que frequentemente se ausentam das aulas com sintomas oriundos de poluição ambiental.
Uma professora grávida teve que se afastar recentemente para não correr o risco de perder seu bebê.
Ao contrário do que o proprietário disse na entrevista, a empresa despeja diariamente uma fumaça tóxica, fedorenta, causando mal estar, dores de cabeça e vômito.
Estamos implorando ao poder público alguma providência no sentido de resolver o problema que é muito grave.

Wânia Walquiria disse...

Em tempos de tanta teclogia temos que passar por esta situação que poderia ser plenamente evitável.Assistimos do interior de uma instituiçao pública o nosso direito constitucional a um meio ambiente saudável ser desrespeitado. E o que é pior, sem o amparo, em todas as instâncias daqueles que deveriam zelar pelos nossos direitos. Pedimos ao Administrador da Regional que se interesse pela nossa causa, já que da Gerencia de Educação Norte nos foi negado até a solidariedade.
Sabemos que há uma verdade que ainda não foi alcançada pelos "papeis" da burocrática Secretaria do Meio Ambiente. Aliás não é a primeira vez que o referido órgão nos deixa na mão.Em 2004 salvamos a nascente sem o menor apoio da SEMA que dava prazos para a construtora que avançava a obra sobre o olho'água.
Diante da necessidade de julgar os fatos reais só nos resta encaminhar o caso para o MP.Wânia Walquiria

Anônimo disse...

É hora da Regional Norte começar a funcionar! Jerry Adriani - Gerente de Educação, Dênio Rodrigues Fernandes - Gerente de Regulação Urbana, Victor Hugo - Gerente de Atendimento ao Cidadão, Vanêssa Maria Lopes Wilke - Gerente de Saúde, Ademilton Aparecido Araújo - Gerente do Social, Aparecida Mendes Paiva - Presidente do Conselho Tutelar, Luiz Fernando Starling - Chefe de Gabinete e Harley Leonardo de Carvalho - Secretário de Administração Municipal Norte. Todos estão envolvidos direta ou indiretamente com a questão! Trata-se de um equipamento da própria prefeitura pedindo socorro! Vocês têm que tomar alguma atitude, nem que seja um laudo pericial no local para afirmarem categoricamente que os problemas respiratórios da comunidade do entorno à referida escola trata-se de uma mera coincidência!
Parabenizo à Mary Lúcia Caetano Oliveira - Gerente de Comunicação, por postar essa matéria sem esconder ou minimizar os fatos, mas tenho um grande pedido: postar também as decisões e atitudes tomadas pelos gestores da Regional Norte para que reconhecidamente voltemos a admirar o bom trabalho que é prestado por esse órgão da prefeitura.

Walesson Gomes disse...

Gostaria de informar que eu Walesson Gomes, assessor da gerência regional de educação da Regional Norte estive presente na escola ontem a partir das 7h da manhã para acompanhar as aplicação de avaliaçãos no alunos do Programa Floração e também,representando o Gerente regional, professor Jerry Adriani, na manifestação que aconteceria as 10h. Porém, fui informado pela vice-direção que não haveria mais o ato, uma vez que a Secretaria Municipal de Meio-Ambiente teria fiscalizado a referida lavanderia e não havia encontrado nenhuma irregularidade. Por tanto, me limitei a acompnhar a aplicação das provas junto a professora Tereza.

Por tanto manifesto aqui que, a Gerência Regional de Educação esteve presente na unidade de ensino no horário de 7h às 11:30h.


Walesson Gomes da Silva
Pedagogo / Assessor da GERED-N

JERRY ADRIANI - GERENTE DE EDUCAÇÃO NORTE disse...

Prezada professora Wânia Walquíria e outros(as) anônimos(as):

É importante esclarecer que, em nenhum momento desconsideramos as reclamações da comunidade escolar da EMFMG, no que se refere à poluição causada pela lavanderia em questão.

Assim que recebi o comunicado da direção da escola, encaminhei à todas as instâncias da Administração Regional Norte para que se manifestassem, dentro das competências de cada uma.

Deves saber que cheguei à GERED-N em fevereiro deste ano e, como foi a primeira vez que tomava conhecimento do fato, entrei em contato com a diretora Márcia, que me enviou as comunicações dos anos anteriores.

Imediatamente o Gerente de Fiscalização Urbana, Dênio, realizou perícia e emitiu parecer técnico a respeito do assunto. O documento com todos os despachos estão com a direção da EMFMG, a qual irei orientar a publicização.

Solicitei à Gerente de Comunicação que fizesse a cobertura do fato, e ao Walesson(Equipe da GERED-N) que me representasse do evento, visto que já tinha agendada, naquele dia e horário, a reunião do CESMED. Dessa maneira, entendo que a PBH, a Administração Regional Norte e a Gerência de Educação estiveram presentes no ato.

Penso que serão necessárias intervenções de outros setores ligados ao meio ambiente e que o secretário Harley irá encaminhar com a responsabilidade que lhe é própria.

Porém, no que tange à Gerência de Educação, demos todos os encaminhamentos necessários, inclusive o apoio à direção da EMFMG, neste importante ato de cidadania, não por uma questão de solidariedade apenas, mas pela crença de estamos todos juntos na empreitada de construir uma educação e uma cidade melhor para todos e todas!

Atenciosamente,

LilianF. Santos disse...

Caro Sr Walleson, ao conversarmos sobre a manifestação,informei-lhe que nossa comunidade escolar, ao reunir-se ponderou que nossa causa é a defesa de um ambiente de qualidade, com ar puro, sem poluição visual e/ou sonora, bem como rios, lagos, limpos, entre outros. Porém, nossa manifestação teve o cunho da defesa de um meio ambiente de qualidade, culminando com os trabalhos feito em sala pelos professores.
Agradeço a atenção dada a nossa escola.
Abraços! Lilian F. Santos ( Vice- Diretora)

Anônimo disse...

Estão querendo calar a nossa boca e não permitir que manifestemos em favor da nossa saúde.
Além de não poder respirar querem também calar a nossa voz.
Lembrando Maiakovisk...
" O Primeiro chega em nossa casa nos rouba uma Flor e não dizemos nada. Outros chegam, pisam em nossos jardins mata nosso cachorro, rouba -nos a lua e continuamos não dizer nada.
Um dia o mais atrevido deles arranca nossa voz da garganta. E como não dissemos nada,já não podemos dizer nada."
Márcia Maria Professora da EMFMG

JERRY ADRIANI DA SILVA - GERENTE DE EDUCAÇÃO NORTE disse...

Como assim, professora Márcia!

Se está se referindo ao meu comentário, cumpre-me esclarecer que:

Fomos nós, da SARMU-N/GERED-N que postamos a matéria no Blog da Regional Norte, enviamos a nota para a imprensa (o que gerou uma matéria no Jornal Hoje em Dia) e apoiamos a direção nos encaminhamentos e propostas apresentadas pela escola.

Não houve, de nossa parte, nenhuma ação para conter a manifestação, muito menos "calar" a comunidade da EMFMG.

A direção da escola é nossa testemunha!!!!
Apenas me manifestei para esclarecer que não estamos parados, omissos ou indiferentes ao fato, conforme fomos denunciados!

Nós também temos direito à voz.

Continuamos em diálogo...

Anônimo disse...

Achei legal a iniciativa da escola, espero que depois disso alguem tome alguma providencia. Mais pessoas deviam fazer a mesma coisa, parabésm a escola e para quem teve a ideia.

JERRY ADRIANI DA SILVA - GERENTE DE EDUCAÇÃO NORTE disse...

Olá!

Saiu no DOM de hoje, 08/05/10, mais uma matéria sobre a manifestação de cidadania do coletivo da EMFMG.

Mais uma vez, parabéns a todos e todas que estão, seriamente, envolvidos com a qualidade de vida e com formação dos cidadãos do presente e do futuro da nossa BH!

Obrigado à Gerencia de Comunicação da Regional Norte, pelo trabalho!

Grande abraço!!!

Anônimo disse...

Tem quase um ano que estamos respirando aquela poluição . Preparamos a manifestação há muito tempo, mas a diretora Marcia não deixou acontecer dizendo que ia resolver sozinha e não resolveu nada. Continuamos saindo das aulas todas as vezes que a fumaça invadia a sala. A gente queria fazer logo a passeata porque achavamos que ia resolver.

Anônimo disse...

Sou aluna da escola EMFMG,do turno da tarde,e faz muito tempo que esse problema tem nos afligido.Desde o ano passado,em especial,ja sofremos com esse problema da fumaça que nos atrapalha nas aulas,causando principalmente dor na garganta e nas narinas(que não há água que melhore),até mesmo tontura,dor de cabeça,e sem contar o mal cheiro.Ontem mesmo,so terceiro horário de aula(por volta das 15:45 + -)nós sentimos os sintomas da poluição causada pela lavanderia,e olha que eu estava gripada e com nariz entopido,e mesmo assim consegui sentir o cheiro da fumaça.Já aconteceu também de eu ver,aqui da minha casa(na Av.Dr.Cristiano Guimares),uma grande quantidade de fumaça sendo solta.Mas bom,não vou ficar mais postando os sintomas e consequencias que a fumaça emitida pela lavanderia nos causa,porque isso já esá bem claro e bem óbvio.O caso agora é:NÓS QUEREMOS QUE MEDIDAS SEJAM TOMADAS!Não vim aqui para julgar nem culpar ninguém,nem da lavanderia nem mesmo do pessoal da Regional,ou Secretaria de Saúde,Meio Ambiente,seja o que for.O que eu desejo,é que alguém tome alguma providência para que essa poluição pare de existir.Eu entendo que a lavanderia precisa existir para que pessoas tenham emprego e pra que serviços sejam prestados,mas eu só peço,que utilizem algum recurso,para que não contamine o meio ambiente,nem nossa saúde,para que nós possamos estudar em paz,sem problemas,e para que não haja mais encomodo pra ambas as partes.
Desde já agradeço,porque sei que serão sensatos !
=)

João Paulo 345 (Tarde) disse...

Há muito tempo vem sendo reclamado o problema da lavanderia. Segundo foi esclarecido pela nossa professora de Geografia Wânia o problema existe desde 2004. Nesta época houveram vários protestos e o problema foi parcialmente resolvido. Na época comprarm um filtro para não prejudicar-los com a fumaça. Mas em 2009 o problema voltou. Conversamos, tentamos resolver, mas não conseguimos nada. Chamamos várias entidades para verificar o problema. Mesmo depois da passeata realizada HOJE fomos "agraciados" com vários gases poluentes!!! Achamos que o problema iria se resolver após tantos protestos. Houve um comentário na sala que queria postar aqui também do aluno André Martins: "Nossa, que cheiro de cueca defumada!" Mesmo o comentário sendo humorístico é a pura verdade. Ouvi dizer também que uma aluna da manhã desmaiou com a fumaça. espero que com a ajuda da Regional Norte, da imprensa (se possível), da comunidade e de todas as entidades que possamos reunir resolvamos o problema.
MANANCIAL QUEREMOS AR PURO! É UM DIREITO NOSSO E UM DEVER SEUS!
Desde já grato por qualquer esforço:
João Paulo

Anônimo disse...

Sou aluno da E. M. Francisco Magalhães Gomes do turno da tarde. Assim como meus colegas e professores, tenho convivido com o mal cheiroso e poluente fato, cujo, o mesmo já havia dado problemas há alguns anos atrás, entretanto, na época, ele fora parcialmente resolvido. Infelizmente, a partir do final do ano de 2009 estamos vivenciando novamente, e, a todo gás essa falta de respeito para com os moradores e outros que na região mantém uma rotina.
Peço para que entidades de poder superior olhem com atenção nossa situação, e se possível, dentro de um pequeno prazo.
Gostaria também de deixar uma sugestão aos responsáveis da nossa prezada Lavanderia Manancial: tomem providencias sobre o fato, sei que tempo é dinheiro, mas também é vida.

Stéfany disse...

Também sou aluna da E.M.F.M.G no turno da tarde. Está impossível ter aulas com a poluição que frequentemente invade a nossa sala. O cheiro é horrível e prejudica a todos nós. Hoje mesmo vários alunos já passaram mal por causa dos gases emitidos pela lavanderia. Nossa professora de Geografia já tentou de tudo pra resolver o assunto , porém sem resultados. Espero que agora com toda essa manifestação nós finalmente sejamos ouvidos e que alguém tome alguma providência , pois continuar assim realmente não dá. Obrigada :)

Michelle disse...

Eu espero que esta manifestação realmente nos ajude. Ter aula com essa poluição está ficando impossivel. Quando alguem vai tomar alguma providencia a respeito disso??sinceramente eu não sei.Obrigada ;)

Anônimo disse...

Acho que quando disseram que "Estão querendo calar a nossa boca" se referiam á diretora do colégio que, a toda hora ficava dizendo aos alunos para falarem mais baixo e que pelo que parecia, estava fazendo de tudo para a passeata "não render"...

pedro disse...

Olá! gente eu sou o Pedro da turma 345 de tarde.

Eu sou aluno do E.M.F.M.G com essa poluição que ta na lanvandaria não tem como estudar direito como eu que tenho (Bronquite) não tem eles tem que trocar esse filtro logo desse do ano passado que eles estão falando que já trocaram não sei o que.
Como que fica o meu ambiente com essa (Poluição) .JERRY ADRIANI DA SILVA ajuda agente.

Anônimo disse...

Sou Aluna da escola e concordo com a manifestação porque eu já fiquei com dor de cabeça por causa da fumaça.
Quando chego na escola a 7h da manhã dá para ver a fumaça saindo da chaminé da lavanderia.Gostaria de providencias.


Agradeço.