segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Combate à obesidade infantil é destaque na Regional Norte

 O combate à obesidade infantil é atualmente um dos grandes desafios da saúde pública no Brasil. Segundo dados de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 30% das crianças brasileiras com idade entre cinco e nove anos estão acima do peso. Diante deste panorama, a Escola Municipal Florestan Fernandes, na Regional Norte, em parceria com o Programa Saúde na Escola (PSE), desenvolveu o projeto Descobrindo Uma Vida Mais Saudável, que tem como objetivo sensibilizar os alunos e pais quanto à importância de se desenvolver hábitos saudáveis de vida. 

Foram selecionadas doze crianças - entre nove e onze anos – com histórico de obesidade. Durante oito encontros os alunos participaram de oficinas e atividades a fim de se conscientizarem quanto a necessidade de criar  hábitos de alimentação mais saudáveis e de promoção da qualidade de vida.

Na última quarta-feira, as crianças participaram de uma atividade que simulava as compras de um supermercado, na qual elas adquiriram os alimentos que costumam encontrar em casa. Feita a feira, elas receberam orientação de quais alimentos devem ser priorizados na alimentação diária e quais devem ser evitados. A proposta é não trabalhar com a ideia de restrição, mas de melhor escolha para a saúde e de moderação.

Os dois últimos encontros do projeto serão divididos entre uma confraternização com os pais e familiares e uma excursão para a Secretária Municipal de Abastecimento, respectivamente.

Dalian Cristina Rocha, enfermeira do PSE, enfatizou as características e o sucesso das atividades. “Tivemos êxito dentro do esperado. Nossa meta era desenvolver nas crianças a reflexão quanto à alimentação correta. Para isso, realizamos algumas atividades com os familiares e a comunidade do entorno, como, por exemplo,  grupos de caminhada. Assim tentamos focar na saúde e chamar a atenção para práticas de alimentação saudável”. Ela ainda destacou a metodologia das atividades. “Pensamos em atividades lúdicas e divertidas, também tivemos o cuidado para não expor as crianças como sendo o grupo dos gordinhos”.

Karina Dias Souza, 10 anos, estudante da 4° série e moradora do Bairro Solimões, destacou a importância das atividades. “Gostei de aprender mais sobre exercícios físicos. Antes eu era tímida sobre meu corpo e tinha vergonha do meu jeito, hoje eu estou tranquila. Vou perder mais peso, vou aprender a comer melhor, fazer mais exercícios físicos e cuidar mais da minha saúde”, afirmou.

Samuel Henrique Costa, 9 anos, estudante da 3° série, destacou o processo de mudanças em sua vida após as atividades: “Eu falei para a minha mãe eu vou ter que comer muita cenoura e cuidar do meu corpo. Ela me disse que quer o melhor pra mim e que ia me ajudar no que fosse possível”. Mesmo sem gostar de legumes, Samuel mostra a disposição de mudar. “Foi legal aprendi como devemos comer e como devemos nos controlar. Eu não gosto muito de comer cenoura, cebola, mas estou aprendendo pouco a pouco”, finalizou.



FONTE : Gerência Regional de Comunicação Social Norte (GERCOM-N)

Um comentário:

Daryl Steel disse...

Eu acredito que a obesidade é uma doença produzido pelo marketing que incentiva o consumo excessivo. Infelizmente nossas sociedades são cada vez mais influenciadas pela propaganda consumista. Eu trabalho em unimed bh e estou muito contente que eles têm um programa para combater a obesidade.